5 motivos para permitir (e incentivar) que seus filhos brinquem na rua

Tempo estimado: 3 minutos

Será que a nova geração vai sair às ruas para brincar logo antes de o sol se pôr? Uma solução pode ser as cidades com o conceito de 15 minutos, onde o planejamento e desenvolvimento urbano da Cidade Criativa Pedra Branca segue os direcionamentos do Novo Urbanismo, promovendo usos mistos dos espaços urbanos e planejando uma cidade completa, compacta, conectada, complexa e com convivência. Um lugar onde as pessoas possam morar, trabalhar, estudar e se divertir ao alcance de uma caminhada proporcionam infraestrutura completa e acessível a espaços públicos e serviços de qualidade. 

Dessa forma, o incentivo por meio do compartilhamento do espaço urbano de seus moradores, torna as cidades mais humanas, inteligentes e sustentáveis. Pensando na construção de um ambiente completo, encontramos a possibilidade de oferecer uma melhor experiência para as crianças e adolescentes quando o quesito é liberdade para brincar e se divertir. Oferecer a oportunidade para que cresçam e se desenvolvam de forma segura é o que a cidade quer proporcionar na comunidade planejada. No cenário pós-pandemia, será preciso ressignificar o espaço urbano para criar ambientes acolhedores para as pessoas, estimulando, assim, a vida em comunidade e em harmonia com a natureza.

Por isso, separamos 5 motivos para que você possa permitir que seu filho esteja aproveitando essa fase infantil e pré-adolescente da melhor forma.

  1. Desenvolvimento Cognitivo

As brincadeiras infantis expandem a visão e a percepção das crianças. Quando o assunto é “brincar ao ar livre”, diversas áreas de cognição são desenvolvidas, como por exemplo as emoções e as sensações. A parte lúdica dos ambientes e dos jogos ajudam na estimulação e no progresso das áreas de inteligência das crianças. A prática dessas atividades realizadas em ambientes abertos fortalecem rapidamente o processo de aprendizagem e crescimento da fase infantil. Nesse momento, os pais precisam ser os apoiadores e também auxiliar como guia das crianças, tornando o ambiente de evolução mais leve e confiável para elas.

  1. Tecnologia e suas consequências

Existe também o apelo tecnológico da inovação que está cada vez mais adequada ao espaço da casa e do condomínio, fazendo com que a criança não precise mais sair de casa para se divertir. Por mais vantajoso que isso pareça, as consequências não são tão positivas quando falamos em condicionamento físico infantil Ficar apenas  dentro de casa pode favorecer o aumento do peso e dificultar o aprendizado em lidar com situações de risco.

  1. Interação interpessoal

A partir do momento que as crianças são ‘superprotegidas’ em casa e não experimentam a adrenalina de interação, poderão sofrer no futuro. Isso pode trazer atrasar o desenvolvimento, a agilidade e também inibir o poder das escolhas e decisões quando forem mais velhas, a caminho da fase adulta. Alguns especialistas de desenvolvimento da fase infantil reconhecem e aconselham os pais no direcionamento de seus filhos em atividades virtuais, orientando  a prática do lúdico real, proporcionando a interação com outras crianças, trazendo as tradicionais brincadeiras infantis de rua que marcaram gerações.

  1. Auxílio na concentração

Grande parte das crianças na fase infantil podem, em algum momento do seu desenvolvimento, apresentar dificuldades de concentração, interferindo na execução em determinadas atividades, dificultando diversas outras áreas. A falta de atenção pode acontecer principalmente quando a criança se encontra cansada ou esteve muito tempo  ligada à atividades virtuais, como televisão e celulares, sendo expostas a diversos estímulos. É importante lembrar também que esses momentos externos dão o senso de pertencimento e atenção no momento que ela precisa atravessar a rua.

  1. Conservação do meio ambiente

A criança que interage com o meio ambiente e desenvolve empatia em relação à natureza aprecia e cuida do mundo à sua volta porque aprende a respeitar como seu próprio ambiente. Esse contato com a natureza e “reconhecimento” de local ajuda no controle de doenças crônicas como asma, diabetes e obesidade,colaborando no desenvolvimento psicomotor. É importante saber que, quando a criança tem essa conexão com o ambiente, ela pode auxiliar os pais na questão do comportamento em ambientes externos, o que proporciona o desenvolvimento de um bem-estar mental ajudando também a equilibrar os níveis de vitamina D, conforme orienta a Sociedade Brasileira de Pediatria.

Planejar uma cidade conceito como a Pedra Branca, está ligada diretamente ao desenvolvimento dos moradores. Queremos auxiliar nesse processo para que seja um momento de grande aprendizado. A situação pela qual estamos passando como sociedade é delicada, a pandemia global da Covid-19 tem desafiado as famílias nesse processo de seus filhos e a forma em que eles têm passado por essa fase. Como grupo Pedra Branca, nós incentivamos as brincadeiras de rua depois que todo esse processo de vacinação esteja concluído e um novo cenário pós pandemia esteja sendo estabelecido.

Para conhecer mais detalhes e os processos do Passeio Pedra Branca, veja as matérias disponíveis no nosso blog!

Categoria:
Sem categoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *