Consolidação do bairro planejado Cidade Pedra Branca confirma tendência do novo morar

Tempo estimado: 3 minutos

Morar, trabalhar, estudar e se divertir ao alcance de uma caminhada tem sido a tendência apontada para o “novo morar” que se estabelece a partir da situação de pandemia. Conforto, comodidade, convivência com segurança, proximidade com a natureza e qualidade de vida estão entre as prioridades na escolha do lugar para se viver. Essa preferência, que já vinha fortalecendo as comunidades planejadas mundo afora nos últimos anos, é confirmada na Cidade Pedra Branca, bairro criado há 20 anos em Palhoça, na Grande Florianópolis (SC), referência internacional em planejamento urbano sustentável. 

O Pátio Civitas, mais recente empreendimento da Cidade Pedra Branca, foi entregue em junho de 2020, num formato de evento adaptado totalmente para o digital, sem perder a essência da Pedra Branca. Com unidades residenciais e comerciais, distribuídas em duas torres, de 11 pavimentos cada, o principal diferencial está no pátio central, com espaços de lazer ao ar livre, horta, bicicletário, salão de festas, brinquedoteca e ambientes de uso coletivo, como lavanderia e oficina. Outro importante atrativo é justamente a localização: a edificação está a poucos passos do Passeio Pedra Branca, o shopping a céu aberto do bairro, com mais de 40 opções entre gastronomia, lojas e serviços, além de academia de ginástica, farmácia, PetShop e supermercado.  

O Passeio Pedra Branca é o coração da Cidade Pedra Branca, interligando edificações residenciais, corporativas e comerciais, ao campus universitário, escolas, praças e áreas de lazer, valorizando a caminhabilidade e a mobilidade urbana a partir de largas calçadas, qualificado mobiliário urbano e rua compartilhada. O lugar atende, na prática, o conceito de “cidade 15 minutos” que vem sendo adotado pela prefeitura de Paris. Cocriado pelo pesquisador franco-colombiano Carlos Moreno, inspirado no pensamento da escritora Jane Jacobs, esse conceito propõe a criação de lugares mais sustentáveis, com a oferta de comodidades e opções de trabalho, de lazer e de convivência próximo das moradias. 

É o “morar, trabalhar, estudar e se divertir ao alcance de uma caminhada” que a arquiteta e urbanista catarinense Silvia Lenzi resumiu ainda na fase de planejamento da Cidade Pedra Branca, no início dos anos 2000, junto aos arquitetos e urbanistas dos principais escritórios de arquitetura de Santa Catarina contratados para criarem “o bairro ideal para viver”. Esse conceito referenciou o bairro planejado como exemplo a ser seguido, garantindo premiações e reconhecimento internacional ao modelo adotado, inspirado nos conceitos de “olhos nas ruas”, de Jane Jacobs, e pautado pelos princípios do Novo Urbanismo, disseminado pela DPZ; de Cidades para Pessoas, defendido por Jan Gehl; e de Acupuntura Urbana, definido por Jaime Lerner, consultores do empreendimento. 

“A vida em comunidade é nosso maior ativo. A vida urbana é nosso maior orgulho. Apostamos no chamado placemaking, criando espaços que promovem saúde e bem-estar e conectam pessoas. Fortalecemos o senso de coletividade e estimulamos a convivência como princípios norteadores das nossas práticas, e que ganham ainda mais sentido e importância nos dias atuais”, afirma o empresário Marcelo Gomes, presidente da Cidade Pedra Branca. 

Inovação e sustentabilidade

Esse “novo morar” que vem se confirmando é, na verdade, um interesse crescente desde antes da pandemia na Cidade Pedra Branca. O fato pode ser confirmado com os números apresentados pelo Reserva da Pedra – condomínio de lotes com 275 mil metros quadrados de área, sendo 30 mil metros quadrados de área verde, com clube completo e dezenas de espaços de lazer ao ar livre. Cercado pela natureza exuberante da região, tem, como grande atrativo, uma praia artificial e lagos ao longo do empreendimento, especialmente projetados para contemplação. Lançado em agosto de 2019, os mais de 390 lotes foram vendidos em apenas três horas. E cerca de 100 pessoas presentes no lançamento, registraram interesse na lista de espera para a ampliação do empreendimento, anunciada naquele mesmo “Dia D” de vendas.

A criação de uma centralidade compacta, complexa, diversa e criativa, fez da Cidade Pedra Branca um lugar atraente também para o setor empresarial. Prova disso é a procura cada vez maior pela locação de salas e lojas e pela ocupação dos espaços de coworking existentes no bairro. E também pelos lotes do Aeropark, empreendimento comercial que oferece lotes com hangares privativos conectados ao Aeroclube de Santa Catarina, integrado à centralidade urbana da Cidade Pedra Branca. No total, são 331 lotes empresariais e 44 lotes para hangares – 70% deles já comercializados. 

“O tempo do empresário é muito valioso. E muitas empresas optaram por se instalar no Aeropark por esse diferencial, pois o empresário pode vir de São Paulo com o seu avião, por exemplo, pousar no aeroclube e seguir caminhando até uma empresa instalada ali”, afirma Marcelo Bonnassis, gerente comercial da Pedra Branca Empreendimentos Imobiliários. A empresa lançou o Aeropark em 2016, em uma iniciativa pioneira na região Sul. A primeira etapa foi entregue em 2018 e a segunda em agosto de 2020. 

Clique no link abaixo e confira os depoimentos de quem já vive esta realidade: https://www.cidadepedrabranca.com.br/blog/documentarios-nossa-casa-pedra-branca 


Categoria:
Sem categoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *