Student Living: o que é e por que investir

student living
Tempo estimado: 4 minutos

Você sabe o que é student living? Este modelo de moradia está cada vez mais em alta e se tornou um grande investimento. Confira o artigo completo e entenda o que é e por que investir nesta área.

A maioria dos jovens tem um grande desafio ao finalizar o ensino médio: escolher a faculdade e a profissão que desempenharão no futuro. Mas, além disso, milhares de brasileiros e estrangeiros também enfrentam outra novidade: a saída da casa dos pais. A maior parte desse grupo escolhe estudar em uma instituição fora de sua cidade, e então a saga começa! Como encontrar moradia ideal durante os anos de graduação?

De onde veio a ideia de student living?

Na América do Norte e Europa, a cultura de sair da casa dos pais ao ingressar na faculdade é muito forte. E, caso os jovens não decidam por conta própria, eles acabam escolhendo alguma universidade longe da cidade dos familiares. Nessas regiões, essa mudança é muito mais tranquila, uma vez que as próprias instituições já oferecem moradia e até mesmo alimentação para estes jovens universitários.

Além de lidar com a saudade e a distância, os jovens precisam enfrentar a manutenção de uma casa, alimentação, saúde, além de, muitas vezes, suportar todos os gastos financeiros. Por isso, vários brasileiros estão buscando modelos mais práticos de aluguel, e assim, o student living vem ganhando seu espaço.

O que é um student living?

Com objetivo de facilitar a vida dos estudantes, o student living (moradia estudantil) nada mais é do que um imóvel totalmente dedicado para a moradia dos jovens. Em outras palavras, a estrutura é planejada em detalhes para tornar a rotina do estudante mais simples.

Os prédios são divididos em pequenos apartamentos ou quartos, o que era antigamente conhecido como república. Porém, o conceito é inovador, pois inclui ambientes muito modernos e estruturados. Além disso, as despesas como água, eletricidade, internet ou telefone já podem ser incluídas diretamente no valor do aluguel.

Com a distância das famílias e amigos, os jovens vêm buscando o student living como uma oportunidade para fazer novas amizades e trocar experiências, culturas e aprendizados. Neste sentido, construção das áreas comuns é feita justamente com este objetivo.

A maior parte das moradias estudantis da Europa e Estados Unidos já possuem internet de altíssima velocidade, piscinas, saunas, sala de jogos, academia, biblioteca, lavanderia e, até mesmo, restaurantes. Assim como em outros países, no Brasil, o modelo de student living não poderia ficar para trás.

Hoje, já existem diversas construções com este objetivo em nosso país, grande parte delas estão localizadas em capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília e Florianópolis. Todas as unidades são construídas próximo de universidades e grandes centros de estudo, com a finalidade de deixar a rotina dos jovens mais prática e econômica. 

Em um bairro nobre de São Paulo, por exemplo, um student living com capacidade para 20 moradores já possui lavanderia compartilhada, bicicletário, área de estudo, cozinha totalmente equipada, terraço com churrasqueira, além de outras áreas de convivência. O custo para um jovem se mudar para lá varia de R$ 950 a R$ 1.700 mensais. Já outras opções podem chegar até R$ 4 mil por mês. 

O mais interessante é que, em sua grande maioria, estes prédios pertencem a apenas um proprietário, o qual já constrói o espaço com o student living em mente. Mas, diferente das kitnets ou repúblicas mais comuns, neste modelo de negócio a gestão é realizada de forma profissional e terceirizada. 

Por que investir no student living?

Mesmo durante a pandemia da Covid-19 no Brasil e no mundo, um dos mercados que manteve o crescimento acelerado foi o imobiliário. Até porque, as pessoas passaram muito mais tempo em casa. De acordo com o Indicador de Vendas da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), o setor imobiliário registrou um recorte nos lançamentos de novos imóveis em 2020.

Em meio a tudo isso, grande parte dos jovens que moravam em quartos compartilhados optaram pela busca de um imóvel mais isolado. Essa ação se deve a duas necessidades: a proteção da saúde e um maior espaço em casa. 

Segundo os dados do último censo realizado pelo Ministério da Educação, hoje o Brasil já tem mais de 8,6 milhões de universitários. Entre eles, 25% optou por sair da casa dos pais para estudar. Nos últimos dez anos, esse número se multiplicou.

Ou seja, cada vez mais os jovens estão em busca de sua liberdade e de um local seguro, moderno e agradável para viver. Os students living estão entre as principais opções dos universitários.  

As grandes construtoras, empreiteiras e até mesmo os investidores do mercado imobiliário podem encontrar uma grande oportunidade na criação, construção e aluguel de student living. Por serem construídos em localizações privilegiadas e estratégicas, contarem com uma estrutura moderna e espaços criativos, os aluguéis por estudante podem ser altos. 

Desta maneira, os investidores conseguem cobrir todas as despesas para gestão, manutenção das áreas comuns e ainda podem recuperar rapidamente o custo aplicado na construção e acabamento do espaço. 

Exemplo de student living

Como a construção do espaço, geralmente, é feita por um só proprietário, uma das oportunidades que eles estão encontrando é a busca por investidores. A Share Student Living, localizada em São Paulo, criou uma rede com vários prédios pela cidade. Para isso, a companhia contou com uma captação de fundos de investimentos de mais de R$ 214 milhões.

Onde construir?

Como a localização é um dos principais requisitos para os jovens escolherem seu novo lar, este ponto deve ser analisado calmamente. Seja na construção ou na compra de um espaço dedicado ao student living, o investidor deve considerar alguns pontos:

  • A região possui estrutura de transporte?
  • É próxima de universidades?
  • Contém espaços para lazer dos jovens?
  • É uma localização segura?
  • Existem oportunidades de trabalho na região?

Alternativas do investimento

Você não precisa comprar um construir um prédio inteiro para investir no student living. Para quem quer diversificar investimentos, ter um imóvel (como um único apartamento) em uma localização próxima a universidades já é uma excelente oportunidade para colocar o conceito em prática.

Facilidades como mobília, eletrodomésticos, áreas de lazer e outros itens que facilitem a rotina de um estudante são super atrativas.

A Cidade Pedra Branca, localizada em Palhoça/SC, é um grande exemplo de região já estruturada para abrigar moradias do estilo student living. Desde o seu início, o bairro teve como grande âncora a Universidade do Sul de Santa Catarina – Unisul. 

Com mais de 250 hectares, o espaço foi ganhando empreendimentos mistos entre comerciais e residenciais. Hoje, o bairro já possui moradias, comércio, serviço, lazer, trabalho e educação. As distâncias são tranquilas e podem ser percorridas a pé ou de bicicleta, influenciando diretamente na qualidade de vida dos jovens. 

Se você se interessou pelo modelo de student living e pensa em investir de forma criativa e consistente no setor imobiliário, conheça os empreendimentos e espaços disponíveis na Pedra Branca.

Categoria:
Investimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *