UMA GALERIA A CÉU ABERTO. O estímulo à vida urbana, na Cidade Criativa Pedra Branca, passa, também, pela valorização das artes plásticas. Obras de arte de diversos artistas estão expostas junto à Praça do Passeio Pedra Branca em convite à apreciação. Em evidência estão os 22 totens da série Tarot Pedra Branca, criada pelo artista e poeta Rodrigo de Haro, uma das maiores expressões da arte brasileira.

São murais em mosaicos em estilo veneziano sobre bases de concreto que materializam a coleção de desenhos produzidos por Rodrigo entre os anos de 1986 e 2016, em papel cartão, sobre os arcanos maiores do Tarot: O Mago, A Papisa, A Imperatriz, O Imperador, O Papa, Os Amorosos, O Carro, A Justiça, O Eremita, A Roda da Fortuna, A Força, O Enforcado, A Ceifadora, A Temperança, O Diabo, A Torre, A Estrela, A Lua, O Sol, O Juízo, O Mundo, O Louco. E também expõem os poemas escritos por ele para cada carta divinatória. As obras foram executadas pelo artista Idésio Leal, parceiro de Rodrigo de Haro na arte muralista há 40 anos, especialmente para exposição no Lugar das Artes, galeria da Cidade Pedra Branca, localizada no Passeio Pedra Branca, inaugurada em dezembro de 2017. No ano seguinte, os totens foram transferidos para a área externa, dispostos sobre as calçadas das ruas do entorno da praça.

Em meio aos bancos e a vegetação, na “Praça das Esculturas”, estão seis esculturas em mármore produzidas especialmente para o local. As obras foram criadas in loco durante o evento “Encontro Catarinense de Escultores”, realizado em 2015 por iniciativa do escultor Jorge Schröder, com o apoio da Associação Internacional de Escultores e Monumentalistas e da Cidade Pedra Branca. São obras dos escultores Kiko Cervi e Rafael Rodrigues, de Florianópolis; Pita Camargo, de Blumenau; Werner Thaler, de Treze Tílias; Marcos Avancini, de Joinville; e de Plínio Verani, de São José.

Destaca-se ainda, na paisagem, a imponente obra Micunfa Recepcionista, de Ro Rita. Executada em alumínio, a escultura possui 4,5 metros de altura. A criação do artista, também arquiteto e urbanista, é inspirada nos calungas dos tempos da faculdade – representação da figura humana nos croquis para revelar a escala dos projetos. “Cada movimento, cada forma final, sai de vê-los andando livres pela rua”, explica Ro Rita. E essa é mesmo a essência de uma cidade feita para as pessoas.

___________________________________________________________
Matéria originalmente publicada na revista ÁREA apresenta: Cidade Criativa Pedra Branca, lançada em junho de 2020.

Comentários