1 /3

Diversas áreas na nossa vida envolvem criatividade, seja para colocar a roupa logo de manhã ou na hora de montar nosso prato no almoço, ela é essencial para todos. Assim, também, várias áreas profissionais precisam ser criativas e usam processos criativos. Economia, música, publicidade, arquitetura, engenharia, são muitas as áreas que podem ser exploradas. Entender e descobrir mais sobre o processo criativo pode melhorar o desempenho e o crescimento da articulação da criatividade nesses ramos profissionais.

De acordo com a pesquisa da cientista comportamental e aprendiz Marily Oppezzo, levantar e dar um passeio pode ser o suficiente para que a criatividade flua. Mas não é uma “caminhadinha” que vai fazer com que voltemos com a solução das nossa vidas em mãos, existe um processo que começa pelo brainstorm. A pesquisa foi baseada em uma experiência com três grupos de pessoas, sendo eles submetidos a testes de uso alternado. Cada grupo fazia uma reunião de brainstorm de 4 minutos e todos tinham que pensar em novas formas de utilizar um objeto que era comum no dia a dia, como por exemplo uma chave (o que você pode fazer com uma chave além de abrir uma porta?). As respostas tinham que ser apropriadas à realidade, coisas que pudessem ser executadas. O processos criativo deveria trazer algo novo, que ninguém ainda tivesse ouvido e que fosse apropriado.

O sentido desta pesquisa era perceber essas ideias enquanto você está sentado ou caminhando. Três grupos foram separados. O primeiro grupo se sentou, fez o primeiro brainstorm e depois se sentou novamente para a segunda rodada. O segundo grupo se sentou e depois fez o segundo teste enquanto caminhava na esteira. Já o terceiro grupo primeiro andou na esteira e depois se sentou.

O dois primeiros grupos que se sentaram na primeira rodada eram muito parecidos nos resultados e alcançaram uma média aproximada de 20 ideias criativas por pessoa. O grupo que primeiro caminhou na esteira levantou quase o dobro de ideias. Este teste foi realizado em duas rodadas. A segunda vez de todos os grupos mostra que a prática não os ajudou a melhorar o desempenho, a não ser para o terceiro grupo que caminhou na esteira - eles ganharam um novo estímulo. Aqui está o fato interessante: as pessoas que primeiro andaram na esteira, depois que sentaram, continuaram tendo um alto desempenho. Com base neste estudo foram desenvolvidas 5 dicas que explicam como a caminhada pode ajudar a aproveitar ao máximo o seu próximo brainstorm: 1º - Escolha um problema ou um assunto para o brainstorm Esta técnica não é como o efeito chuveiro, que enquanto você está no banho lendo o rótulo do shampoo tem uma brilhante ideia. É importante que você esteja pensando com antecedência no assunto ou no tema que você precisa de uma solução. A ideia é que se possa ter novos pensamentos de projeto em brainstorm sob uma perspectiva diferente na caminhada. 2º - Encontre um ritmo confortável para caminhar enquanto você tem o brainstorm A prática funciona independentemente da atividade física, o importante é que não capture totalmente a atenção, por isso é importante escolher um ritmo confortável. Para algumas pessoas o ideal será caminhar, mas se correr for algo confortável, deve fazê-lo. 3º - Podemos ter a quantidade de ideia que quisermos O segredo da criatividade é não travar na primeira ideia. Continue indo, continue caminhando, seguindo em frente para que continuem surgindo novas ideias até que seja possível escolher uma ou duas para se dedicar. 4º - Fale e salve suas ideias Por que não anotar as ideia se as esquecemos? Procure falar sobre as suas ideias. Você pode apenas colocar o fone no celular, gravar suas corridas ou caminhadas na rua enquanto finge ter uma conversa criativa por telefone. O ato de anotar já é um filtro. Pensamos “isso é bom o bastante para se anotar?” e então anotamos ou não. Se apenas falamos como ideias, podemos gravar e depois pensar sobre elas. 5º - Não faça isso para sempre Se estiver caminhando e uma ideia não surgir, volte mais tarde em outra hora. Insistir e obrigar a mente a ter uma solução só vai levar à frustração. Procure relaxar a mente e desfocar para que consiga. O interessante é que o teste citado acima foi realizado em uma sala sem janelas. Imagine o efeito e relaxamento da mente caminhando ou correndo na natureza! Por isso, antes de próximos eventos ou grandes reuniões, vale a pena correr ou caminhar e depois sentir os efeitos da mente mais criativa.



Comentários