"A cultura come a estratégia no café da manhã"
A frase de Peter Drucker é, no mínimo, assustadora. Alguns, depois de lê-la, certamente penderão para o lado de deletar suas agendas e desinstalar seu Trello. Já outros optarão por desacreditar que a cultura tem um senso tão forte assim.
Fato é, refletir sobre negócios que tinham tudo para dar certo, mas que não decolaram, meramente pela execução errônea de seus planos estratégicos, é um dever de casa.
De acordo com o IBGE, o Brasil mais fecha empresas do que abre. Um dado informado pela Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo diz que 21% das empresas quebram após o primeiro ano de atividade.

O que faz tantas empresas fecharem?

Um dos responsáveis pelo fechamento das empresas é o próprio funcionário. No entanto, a culpa não é somente dele. O desengajamento é o fator determinante causado principalmente pelo desestímulo e falta de impulsionamento de capital humano dentro da empresa, ambas frutos da ausência de uma cultura organizacional.
A cultura organizacional é extremamente importante para o sucesso e a saúde geral de sua empresa, de seu pessoal e de seus clientes. Portanto, é útil gastar tempo considerando por que a cultura da sua empresa é do jeito que é e por que é importante que continue assim (ou mude).

Pessoas se conectam com pessoas

Mais do que escorregadores e geladeiras cheias de refrigerantes de todos os tipos, as organizações precisam pensar em transparência, virtude e integridade. 
Não deve ser surpresa que os funcionários que se sentem parte de uma comunidade, em vez de uma engrenagem em uma roda, tenham mais probabilidade de permanecer em sua empresa. Na verdade, é isso que a maioria dos candidatos a empregos procura em uma companhia.
Ao perguntar a qualquer profissional de alto desempenho o que o mantém em sua empresa, você possivelmente ouvirá esta resposta: as pessoas. É porque uma cultura de trabalho focada nas pessoas tem um apelo profundo. Ajuda a melhorar o engajamento, oferece uma experiência única aos funcionários e faz com que seu pessoal se sinta mais conectado.
Uma maneira de atrair os melhores profissionais que são campeões da cultura natural é contratar pessoas adaptáveis.

Mas como criar uma empresa que os funcionários amam?

Já houve outros estudos semelhantes antes - muitas vezes ligados a engajamento e produtividade, e incluindo aqueles que insistem que os salários têm pouco a ver com felicidade, que alguns eruditos recorreram — e fugiram do campo da realidade. Mas algo está mudando sobre a natureza de como trabalhamos hoje.
Quando vemos as melhores empresas para trabalhar, pesquisas que são realizadas pela Great Place to Work, empresas que têm pessoas como o centro de tudo são as mais bem colocadas.
E aqui está uma lista de tudo o que elas fazem de diferente:
  1. Colocam as pessoas em primeiro lugar;
  2. Auxiliam os colaboradores a encontrarem e seguirem suas paixões;
  3. Montam times eficazes através da diversidade de ideias;
  4. Empoderam as pessoas no que elas sabem fazer melhor;
  5. Criam espaços onde as pessoas podem ser elas mesmas.
Quando pedimos aos líderes apenas que cumpram seus deveres e sejam um instrumento dentro de uma máquina para fazer dinheiro, estamos pedindo a eles que façam muito pouco e dando-lhes a oportunidade de evitar perguntas difíceis sobre o que é mais importante na vida.
Podemos ser muito mais diretos insistindo que coordenadores e líderes fomentam o potencial humano e apóiem o florescimento humano como obrigações de seus papéis. Se não tivermos objetivos mais profundos para os negócios, então por quem e para que passamos por todos esses problemas?

Comentários